quarta-feira, 23 de março de 2011

Back on my mat



Quando a vida me afasta da rotina da prática, nada é mais reconfortante do que voltar a sentir a textura do mat por debaixo dos meus pés. Sinto falta da prática, como quem sente a falta de uma grande companheira, aquela amiga que abraça quando é preciso, mas que me chama a atenção quando encho o peito e falo a linguagem do Ego.


Estar afastada da prática por opção, normalmente tem haver com preguiça, mas quando não é por escolha, tende a ter haver com doença. Saúde, é um estado que todos devemos conservar e que todos deveremos cultivar. Sem saúde, os nossos corpos deixam de funcionar na sua totalidade e as nossas mentes facilmente são confundidas.


Quanto ficamos presos nas limitações de uma qualquer doença, tendemos a repensar no significado de saúde e no seu valor, tendemos a olhar para a saúde de outro ponto de vista e normalmente, aumentamos a sua importância e organizamos o nosso dia-a-dia para conseguirmos tempo para o nosso instrumento de vida, o corpo. Tudo conta na conquista por mais saúde, seja com uma alimentação mais saudável, reduzir o consumo de café, de fritos, de doces e aumentar a actividade física, estacionar o carro longe e andar mais a pé, passear os cães numa rua mais distante, ir com os filhos ao parque do outro lado da avenida, voltar a ser sócio no ginásio ao lado de casa, ou marcar, finalmente, a tal aula de yoga que um colega recomendou. Tudo vale para voltar a sentir energia, funcionalidade e nova disposição.


Voltar ao tapete, depois de estar muitos dias de cama, é pura alegria. Voltar a sentir a respiração, os movimentos, as posturas, a integração do corpo com a mente, desfrutar novamente de liberdade e fortalecer este nosso veículo de vida, contra uma diversidade de doenças que infelizmente, sem darmos por ela, nos ataca.

1 comentário:

maga disse...

É mesmo!...Senti sempre muita falta quando a minha anca não me deixou praticar! Obrigada Vera. Bjs. margarida